Prefeito Rivelino Câmara emite nota à população sobre acidentes automobilísticos ocorridos em Patu

322 0

NOTA À POPULAÇÃO

Num curto intervalo de tempo, dois jovens de Patu se envolveram em acidentes automobilísticos, de consequências gravíssimas, indesejáveis, lamentáveis.

De pronto, diante de cada caso, a Administração Pública Municipal prestou os atendimentos mais imediatos, transferindo em seguida tais pacientes para o Hospital Regional Tarcísio Maia, localizado em Mossoró, unidade referenciada pelo Sistema Único de Saúde – SUS para atendimentos dessa natureza.

No entanto, mesmo fazendo tudo o que está ao seu alcance e o que lhe compete de acordo com as normas do SUS, a Administração Municipal e a pessoa do Prefeito têm sido alvos constantes de ataques verbais diversos, principalmente em redes sociais, como se a Administração e o seu gestor principal fossem culpados pelos resultados negativos desses sinistros.

Em respeito à dor das famílias, a Administração Municipal havia optado inicialmente por se manter silente diante de tantos impropérios que lhe foram dirigidos e que também foram direcionados à pessoa do Prefeito. Todavia, como o assunto ganhou proporções inimagináveis e, por outro lado, com a obrigação de dar uma satisfação ao povo de Patu, resolveu a Administração Municipal prestar alguns breves esclarecimentos, para que a mentira jamais prevaleça sobre a verdade.

Diferentemente do que vem sendo falado em redes sociais, não houve nenhuma falha humana nos atendimentos aos jovens Diogo Jales e Clísman, vítimas de acidentes de trânsito em Patu mais recentemente.

No primeiro caso, de Diogo, a médica que realizou o primeiro atendimento, no Hospital Municipal Henderson Josino B. de Moura, em Patu, adotou todos os procedimentos recomendados para o caso. Além de excelente profissional, era também amiga pessoal da vítima, pois foi sua colega de faculdade na Bolívia por certo tempo.

Ela relatou à Administração que, por estar grávida, não pode acompanhar o acidentado até a cidade de Mossoró, mas que, porém, diante da grau de amizade que tinham, pediu ao médico Abel Filho e a médica Géssica também da família que, noutro carro, seguissem com destino a Mossoró, para o caso de alguma urgência durante o trajeto, acompanhamento este que, segundo ela, de fato ocorreu.

No Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, o médico responsável pelo atendimento relatou que já teria havido morte cerebral antes mesmo dopaciente dar entrada naquela unidade, morte cerebral esta que teria sido instantânea, ocorrida no momento do grave acidente.

Na situação de Clísman, aconteceram dois acasos, além do próprio acidente. Feitos os primeiros atendimentos no Hospital Municipal de Patu e encaminhado o paciente ao Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, um dos pneus da ambulância foi furado após passar sobre um objeto cortante entre os Municípios de Olho D´água do Borges e Caraúbas, o que ensejou a troca do pneu furado, que ocorreu com rapidez pelo motorista da ambulância.

Quando a ambulância já estava próxima de Mossoró, ela caiu sobre um dos muitos buracos da rodovia, o que levou à perda de ar de outro pneu do veículo. Sem demora, o motorista da ambulância do Município de Patu acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, que de imediato enviou uma ambulância ao local, completando-se o trajeto.

Nas duas situações os pacientes saíram do Hospital Municipal de Patu com oxigênio suficiente para a realização do trajeto. Em conversa com a mãe de Clísman, esta explicou que, ao se referir num áudio de watts app que faltou oxigênio, ela quis dizer que faltou oxigênio no cérebro da vítima, e não no tubo de oxigênio da ambulância. De fato, o oxigênio que é levado do tubo para o paciente oxigena os pulmões deste, e não o cérebro, cuja oxigenação é feita pelo próprio organismo da pessoa.

Esclarecemos que a Administração Municipal dispõe de duas ambulâncias em perfeita condições de uso, sem pneus “carecas” e regularmente vistoriadas. Além dessas ambulâncias, a Secretaria Municipal de Saúde dispõe de outros sete veículos, que diariamente são vistos levando pacientes para atendimentos especializados em Mossoró, Pau dos Ferros e Natal, ou onde se faça necessário.

Diante da grande demanda, a Administração Municipal já dispõe de recursos financeiros para a aquisição de mais duas ambulâncias de pequeno porte. No entanto, estamos tentando, junto ao Ministério da Saúde, de onde vieram os recursos financeiros, uma autorização para que o Município coloque uma contrapartida de recursos próprios, para que possamos adquirir uma ambulância de porte maior, com mais equipamentos para uma melhor prestação de serviços.

No Município de Patu há médicos trabalhando todos os dias, tanto nas Unidades Básicas de Saúde como no Hospital Municipal, que tem uma prestação de serviços certamente melhor do que a de muitos Hospitais Regionais do Rio Grande do Norte, onde nem todos os dias existem médicos plantonistas. Em Patu, graças a Deus e ao trabalho incansável da gestão, todo dia há médico plantonista no Hospital Municipal. Nós trabalhamos diariamente em todas as áreas, dando especial atenção ao serviço de saúde pública.

Lamentamos profundamente que algumas pessoas queiram explorar politicamente esses infortúnios, como se a desgraça alheia servisse como tentativa de se alavancar determinadas carreiras políticas.

Porém, se já respondíamos com trabalho, vamos também responder a essas mentiras, infelizmente, com a adoção de medidas legais e jurídicas.

Juntamo-nos às famílias das vítimas na sua tristeza e lhes somos solidários nesses momentos de dor e sofrimento. Pedimos, porém, que não apontem como culpados quem de fato não o é.

No mais, informamos que as unidades de saúde do Município de Patu estão de portas escancaradas e com profissionais capacitados e humanizados para realizarem os atendimentos que naturalmente surgirem, sem qualquer distinção de qualquer natureza.

Quanto às festividades realizadas pela Administração Municipal, apontadas como causadoras de faltas de investimentos na saúde – o que não é verdade -, esclarecemos que a Administração somente realiza tais eventos de acordo com as possibilidades financeiras e orçamentárias, sempre com vistas à valorização e à manutenção das manifestações culturais do povo patuense. Esses eventos geram dividendos e movimentam a economia patuense.

Patu-RN, 5 de junho de 2018.

RIVELINO CÂMARA
Prefeito

Posts Relacionados